Igualdade social passa cada vez mais por inclusão digital

Tempo de leitura: 4 minutos


Em recente mensagem ao Congresso, o presidente Lula apontou a necessidade de o Brasil passar por um processo de transformação digital em que seja possível garantir internet de qualidade em todo o território nacional e assegurar a universalização do acesso a conectividade.

Na ocasião, o presidente ainda atentou sobre os prejuízos causados pela falta de acesso à internet, restringindo o direito de acesso à informação às camadas mais abastadas da populaçãoDe fato, trata-se de um problema muito sério. Em uma economia cada vez mais conectada, a exclusão digital se configura como um relevante fator de impacto para a desigualdade econômica e social.

O Brasil está atrás de inúmeros países quando o assunto é Inclusão Digital. O valor do acesso à internet, ainda é alto se comparado ao salário mínimo brasileiro.Fonte: Getty Images

Segundo o padrão estabelecido pela ONU que mensura a acessibilidade dos pacotes de internet, 1GB de dados deve custar menos de 2% da renda nacional bruta per capita. O Brasil atende a essa meta quando se considera toda a população.

Entretanto, quando se analisa individualmente as faixas de renda, a realidade muda de forma preocupante: o pacote de consumo médio chega a custar 6% da renda mensal entre aqueles que estão entre os 40% da população com salários mais baixos. Na camada inferior, alcança 10% da renda média para os 20% mais pobres.

Em termos comparativos, o preço da conectividade no país não é alto e vem caindo muito nos últimos anos.  Considerando os 15 países que mais acessam a banda larga no mundo, o custo no Brasil é 55% menor do que a média e caiu nada menos que 80% nos últimos 10 anos. Ainda assim, não é o suficiente para alcançar o bolso da população mais vulnerável.

De acordo com o levantamento feito pela LCA Consultores com base na Pesquisa por Amostra de Domicílios Contínua do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mais de 67% dos trabalhadores do país recebiam apenas dois salários-mínimos em 2022 (R$ 1.302). 

Nesse sentido, é possível notar que a maior razão para a desigualdade digital não é um problema de oferta, e sim de demanda.

Segundo a TIC Domicílios realizada em 2022, mais de 28 milhões de pessoas nunca acessaram a internet no país, o que equivale a 15% da população. Os motivos são diversos e 29% afirmam que não possuem poder aquisitivo para contratar o serviço. 

A alta carga tributária que os consumidores pagam é um dos motivos que impedem a redução dos valores de acesso à internet. Enquanto em países líderes em conectividade a taxa fica em torno de 10%, no Brasil, ela atinge mais de 40%. O uso adequado dos fundos setoriais pode ajudar na tarefa da universalização da conectividade.

Espera-se um adequado uso a partir de agora do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust), que foi criado há mais de 20 anos e com bilhões de reais arrecadados, mas nunca foi usado para a expansão da conectividade. 

Inclusão digital
Políticas públicas devem ser priorizadas para que o acesso à internet possa ser um direito de todos.Fonte: Getty Images

O acesso a conectividade precisa ser tratado como algo de fundamental importância. Países desenvolvidos possuem há tempos diversas políticas públicas para garantir que os seus cidadãos e empresas se digitalizem.

Os Estados Unidos, por exemplo, criaram o Lifeline – um programa que concede acesso aos serviços de comunicação para consumidores menos abastados. É subsidiado descontos de mais de US$ 9 para os mais pobres, o que equivale a 1/4 do ticket médio do cidadão americano. O custeio permite que mais pessoas tenham acesso a trabalho, cultura, educação e serviços de saúde. 

A conectividade se tornou o caminho mais curto e rápido para garantir capacitação e promover inclusão social. Sua ausência, por outro lado, tem a capacidade de aumentar de forma importante as desigualdades já existentes. O Brasil carece de ações concretas e ágeis para diminuir o abismo social e promover o acesso às oportunidades de forma mais equânime e duradoura. 



TucanoWeb – Especialista em Soluções Web: Sites à partir de R$299

TucanoCloud – Especialista em Hospedagens: 30 Dias Grátis

SitesProntosBR – Venda de Sites Prontos e Scripts: À partir de R$49

Cursos de Programação Grátis com Certificado – Digital Innovation One: Gratuito e 100% Online



Tags: hospedagem barata, hospedagem de sites wordpress, hospedagem de sites, hospedagem vps barata, servidores dedicados, hospedagem de sites barata, criação de sites, criação de sites barata, criação de sites em wordpress, wordpress, sites wordpress, certificado ssl, manutenção de sites, loja online, criação de loja online, criação de loja online barata, hospedagem nacional, servidor vps nacional, servidores vps, vender site online, vender script online.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *